quinta-feira, 25 de julho de 2013

América - Blocos Econômicos - Mercosul

     "     Os blocos econômicos americanos


     A partir da década de 1960, o continente americano foi cenário de diversos projetos de integração econômica : Mercado Comum Centro-Americano, Pacto Andino, Mercado Comum do Sul (Mercosul) e o Acordo do Livre-Comércio da América do Norte (em inglês, North American Free Trade Agreement, Nafta).  

   Desses blocos econômicos, os que demonstram maior potencial de integração e melhores perspectivas são Mercosul e o Nafta, formados respectivamente na América do Sul e na América do Norte. 

                 Mercosul

     O Mercado Comum do Sul (Mercosul) é o bloco econômico mais importante da América Latina. Sua implantação está associada ao estabelecimento de um conjunto de acordos bilaterais entre Brasil e Argentina, a partir de 1985. 
   Em 1986, Brasil e Argentina assinaram a Ata de Integração e Cooperação que mencionou, pela primeira vez, a intenção de instituir um espaço econômico comum. Em 1989, esse Tratado de Integração e Cooperação foi implantado e passou a incluir o Uruguai. 
   Depois de vários acordos parciais, em 26 de março de 1991 Brasil, Argentina e Uruguai, agora acompanhados pelo Paraguai, assinaram o Tratado de Assunção, que formalizou o Mercosul, um acordo para a progressiva integração aduaneira e comercial dos países-membros. 

        Etapas da integração

   Na fase inicial do Tratado de Assunção, estabeleceu-se uma zona de livre-comércio, em que os governos dos países-membros se comprometeram a eliminar gradativamente todas as barreiras sobre a circulação de bens entre os territórios. Na fase seguinte, formou-se uma união aduaneira e estabeleceu-se a Tarifa Externa Comum (TEC) para a importação de produtos de países que não pertencem ao Mercosul. A terceira fase prevê a formação de um mercado comum que engloba as duas fases anteriores e acrescenta a livre circulação de pessoas, capitais e serviços.  

        Políticas Coordenadas
   
   Para assegurar a integração e as condições de igualdade na competição entre os países-membros do Mercosul, foram instituídas medidas que estabelecem a coordenação de políticas sobre o comércio exterior, os transportes, as comunicações, a produção agrícola e industrial, entre outras. 

        Perspectivas

   A principal finalidade de criação do Mercosul é fortalecer a inserção e a participação de cada um dos países-membros no mercado globalizado. Ou seja, constituir uma área ou bloco unificado a fim de aumentar a capacidade de negociação dos países-membros com outros países ou blocos, como os Estados Unidos ou a União Europeia. 
   A integração também foi considerada uma estratégia eficaz para enfrentar muitos dos problemas que esses países teriam tido no início dos anos 1990 e que, em grande medida, ainda perduram: forte endividamento externo, recessão, baixo crescimento econômico e dificuldades crescentes para vender seus produtos no mercado internacional. 
   Um dos principais objetivos do processo de integração visa ao aumento do intercâmbio entre Brasil, Argentina, Uruguai e Paraguai, por meio da diminuição dos obstáculos comerciais e aduaneiros. 
   A partir de 1996, Chile e Bolívia se incorporaram ao Mercosul na qualidade de países associados e passaram a participar da zona de livre-comércio, mas não da união aduaneira. Assim, não são sócios plenos, como os quatro iniciais.

   Em 2003, o Peru solicitou seu ingresso como país associado. Seu exemplo foi seguido, no ano seguinte, pela Colômbia e pelo Equador. Em 2006, o governo da Venezuela assinou o Protocolo de Adesão, que fixa em quatro anos, no máximo, a integração total do país ao Mercosul. 

         "

Fonte :  Livro Projeto Araribá; DANELLI, Sonia Cunha de Souza; Editora Moderna, 8º ano; 2ª edição, 2007.
GEOGRAFIA Newton Almeida    http://geografianewtonalmeida.blogspot.com

Nenhum comentário: